quinta-feira, 30 de abril de 2020

30/04/2020, dia nº 46 da minha quarentena!


Hoje é 30 de abril de 2020 num dos tempos mais estranhos que vivi!

Desde o dia 15 de março que estou em quarentena, com raríssimas saídas. Hoje é o meu dia nº 46!

Lembro que o primeiro caso da Covid-19 no Brasil foi registrado em 26 de fevereiro com a primeira morte em 17 de março.

Diariamente tenho a pachorra de anotar os números que são divulgados e, por exemplo, dos 98 casos brasileiros em 15/3, neste 30/4 já temos 85.380 casos e 5.901 mortes.

O meu Ceará registrava 68 casos em 20/3 e neste 30/4 apresenta 7.606 casos e 482 mortes.

No mundo, em 20/3 tínhamos 260.476 casos e 11.286 mortes. Em 30/4 temos 3.260.964 casos e 231.808 mortes.

Bem, amanhã, 1º de maio de 2020, mês de Maria, que Ela nos proteja e salve-nos desta pandemia.

Amém!

AFP: A América Latina está preparada para o pior da pandemia?

https://www.afp.com/pt/noticia/3965/america-latina-esta-preparada-para-o-pior-da-pandemia-doc-1qx38h1

quarta-feira, 29 de abril de 2020

DW: Estudo alemão vê Brasil em rota cada vez menos democrática.

https://www.dw.com/pt-br/estudo-alem%C3%A3o-v%C3%AA-brasil-em-rota-cada-vez-menos-democr%C3%A1tica/a-53284236

Chinese netizens mourn death of Bollywood icon Irrfan Khan.

https://www.globaltimes.cn/content/1187138.shtml

Ficar (em casa).

https://www.publico.pt/coronavirus/emcasa

AP: US economy shrank at 4.8% rate last quarter as virus struck.

https://apnews.com/e0d04987133c2f48992b98ace0a1e846

Reuters: Estamos deixando câmbio ir para o lugar real, de equilíbrio, diz Guedes.

https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKBN22B1T1-OBRBS

America's economy just had the worst quarter since 2008.

https://edition.cnn.com/2020/04/29/economy/us-economy-downturn-coronavirus/index.html?utm_term=158816531049456cca79999f3&utm_source=Breaking+News&utm_medium=email&utm_campaign=155001&bt_ee=Vy975paFVsjSvlhZ8WWusiLIww73pkFfxNxMcfdS%2Bm6adz1yHjxRdWru5jrBUUKe&bt_ts=1588165310498

terça-feira, 28 de abril de 2020

Crítica Homeland – 8X12: Prisoners of War.

https://www.planocritico.com/critica-homeland-8x12-prisoners-of-war/


O momento mais importante de Prisoners of War – o título é uma homenagem à série de Gideo Raff que serviu de base para Homeland – é, sem dúvida alguma, o embate verbal entre Carrie e Saul que começa com Réquiem, de Mozart, abafando a conversa e marcando seu tom. A missa fúnebre do compositor austríaco não só é uma de suas peças mais conhecidas, como também é sua última, com ele falecendo antes de terminá-la, o que ficou ao encargo de diversas outras pessoas. A morte é o tema, mas a sucessão é o verdadeiro pano de fundo narrativo que justifica a música. Carrie, como uma filha deserdada, é expulsa de casa por seu “pai” Saul, depois que ela exige o impensável.

Na crise, fundos veem saída de investidores, mas longe de ser uma sangria.

https://valorinveste.globo.com/produtos/fundos/noticia/2020/04/28/na-crise-fundos-veem-saida-de-investidores-mas-longe-de-ser-uma-sangria.ghtml

Coronavirus. ¿En qué mundo amaneceremos el día después de la pandemia?

https://www.lanacion.com.ar/el-mundo/coronavirus-mirada-corresponsales-ln-hay-angustia-porque-nid2357944

Juros para pessoa física caem para 46,1% ao ano, diz Banco Central.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-04/juros-para-pessoa-fisica-caem-para-461-diz-banco-central

Coronavírus: Paraguai adia volta às aulas para dezembro.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2020-04/coronavirus-paraguai-adia-volta-aulas-para-dezembro

Reuters: PIB do Brasil vai recuar 10,1% em 2020 em pior cenário, prevê UBS.

https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN22A2KC-OBRBS

SÃO PAULO (Reuters) - O UBS cortou para 5,5% a estimativa para a retração da economia brasileira em 2020, depois de no começo do mês prever queda de 2%, mas, a depender do cenário analisado, o tombo pode ser ainda maior, de 10,1%.
No cenário um, a economia cai 5,5%. No dois, 7,2%. E no três sofre o recuo de dois dígitos.
No cenário um, as restrições de distanciamento social existentes permanecem em vigor até meados de maio, com atividades voltando ao normal em grande parte até o final de junho.
No dois, as restrições só começam a ser retiradas até o final de junho, com normalização até o término de agosto.
Já no três, a pandemia de coronavírus não é efetivamente controlada até meados de 2021, e, com isso, as restrições são apenas parcialmente removidas.
Mas os economistas Tony Volpon e Fabio Ramos, que assinam o relatório desta terça-feira, ponderaram que mesmo fora do cenário três a economia pode sofrer uma queda mais forte que o previsto, afetada por questões políticas.
Os profissionais destacam o risco da pandemia levar a níveis elevados de incerteza política e de política, com impactos negativos sobre a confiança do investidor, o que poderia gerar um estado de prêmio de risco permanentemente mais alto nos preços dos ativos.
Nesse caso, “podemos ver o resultado parecido com o do cenário três mesmo que a pandemia esteja sob controle”, disseram Volpon e Ramos.
Em 2021, o UBS vê a economia em expansão de 6,5% (cenário um), 8,3% (cenário dois) e 5,4% (cenário três).
Por José de Castro

DW: Papa pede prudência durante isolamento.

https://www.dw.com/pt-br/papa-pede-prud%C3%AAncia-durante-isolamento/av-53270171

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Homeland | 8×12 – Prisoners of War [Series Finale]

El País -Timothy Snyder:“Me preocupa que líderes autoritarios saquen provecho del sufrimiento”.

https://elpais.com/cultura/2020-04-26/timothy-snyder-esta-crisis-puede-acabar-por-restar-atractivo-a-los-autoritarismos.html

Confiança do consumidor atinge menor patamar em 15 anos, diz FGV.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-04/confianca-do-consumidor-atinge-menor-patamar-em-15-anos-diz-fgv

Mercado financeiro projeta queda de 3,34% na economia brasileira neste 2020.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-04/mercado-financeiro-projeta-queda-de-334-na-economia-este-ano

Somente 3,34% a previsão de queda do PIB brasileiro neste 2020? 

Meu Deus!!! 

Que bom saber que a maioria de meus colegas brasileiros registra um otimismo que não consigo perceber daqui deste meu cenário...

DW: Alemanha projeta maior queda na economia desde 1949.



Para 2020, governo estima PIB 6,3% menor do que no ano passado devido às medidas adotadas para conter a propagação do novo coronavírus. Previsão é de onda de falências e três milhões de desempregados.

Delfim Netto no Estadão: ‘‘Querem cortar combustível do Posto Ipiranga”.

https://cultura.estadao.com.br/blogs/direto-da-fonte/querem-cortar-combustivel-do-posto-ipiranga-afirma-delfim-neto/



Sonia Racy
27 de abril de 2020 | 00h40

ANTONIO DELFIM NETTO FOTO WERTHER SANTANA ESTADÃO
Ex-ministro da Fazenda, Agricultura e do Planejamento (cargos exercidos durante a ditadura militar), Antonio Delfim Netto está atônito com as últimas notícias vindas de Brasília, inclusive a que levanta a possibilidade de Paulo Guedes deixar o ministério da Economia. “Como a gente costuma brincar aqui, parece que querem cortar o combustível do Posto Ipiranga”, diz.
Questionado sobre o programa Pró-Brasil da ala militar do governo Bolsonaro, lançado terça-feira e apoiado em cinco power points, o pai do “milagre econômico” dos anos 70 avalia: “Permita-me dizer, primeiro, que nunca houve milagres, seria um efeito sem causa. Houve sim, o duro trabalho. No caso desse projeto, trata-se de coisa de amador produzidas por mágicos atacados por um keynesianismo hidráulico, semelhante aos planos do governo Geisel”, explica o economista.
Ele relembra que o general- presidente adorava gráficos exponenciais no papel e que nunca viraram realidade. “Toda vez que os militares se envolvem em programas econômicos, revelam saudades do velho ‘tenentismo’ e terminam muito mal”. Para Delfim, o último a tentar um projeto deste tipo foi o general Albuquerque Lima, que “fez um curso madureza na Cepal e formulou o programa que encantou a famosa linha dura. Se tivesse ido à frente, o País tinha afundado”.
O economista de 91 anos pondera que o Brasil inicia um processo que “vai se desenrolar dolorosamente”, acreditando que Bolsonaro até pode sofrer impeachment mas jamais vai renunciar. “Minha convicção é que o MPF, juntando o que é conhecido pelo STF, vai saber quem financia e quem financiou, quem promoveu e quem continua promovendo os ataques às instituições, quem estava por trás das fake news. Os porões do Planalto e os filhos de Bolsonaro estão nisso até a cabeça”, desconfia.
Amparado também pela experiência de 20 anos como deputado federal por São Paulo (de 1987 a 2007), Delfim Netto salienta que o grande problema de Bolsonaro diante da crise (não a da covid-19) é que, apesar do vasto passado como deputado, pouco fez.

domingo, 26 de abril de 2020

Affonso Celso Pastore no Estadão: Estadistas, populistas e a pandemia.

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,estadistas-populistas-e-a-pandemia,70003283145

Em um momento difícil como este, é natural que no Brasil haja divergências. Empresários que construíram suas empresas com o duro trabalho de décadas temem perdê-las ou a duras penas ter de reconstruí-las. Pessoas humildes em cujas casas pobres vivem inúmeros familiares perderam sua renda, passando a viver de transferências do governo. Nos dois casos, a tentação é atribuir a culpa ao distanciamento social e, quando cai o número de mortes, ambos lutam para que este acabe, sem se dar conta que a queda do número de mortes é a consequência do afastamento ocorrido anteriormente. A experiência do Japão e de Cingapura mostraram que é um erro abandonar precocemente a quarentena. Caberia ao governo explicar à sociedade a inevitabilidade da quarentena, trabalhando em um protocolo de saída que evite um aumento do contágio, e não se acovardando em tomar as medidas compensatórias que reduzam o custo durante o período de isolamento. 

Portugal entre os países europeus onde o turismo mais cai. Recuo anual de 40%.

https://www.publico.pt/2020/04/26/economia/noticia/portugal-paises-europeus-onde-turismo-cai-recuo-anual-40-1913942

Michael Sandel no Estadão de 26/04/2020!

https://www.estadao.com.br/infograficos/cultura,precisamos-repensar-nossa-sociedade-para-reconstruir-um-senso-de-solidariedade,1091079


Michael Sandel: Penso que a sociedade civil tem um papel extremamente importante a desempenhar. Nós falamos sobre política e governo e tentamos encontrar alternativas para as perigosas tendências autoritárias que estamos vendo agora. E tudo isso é muito importante. Mas vimos como os principais partidos políticos falharam e como esse fracasso levou à eleição de figuras autoritárias hiper nacionalistas no Brasil e em outras partes do mundo, inclusive nos EUA, meu país. Acho que precisamos procurar a sociedade civil para ajudar a criar fontes de solidariedade, porque não são apenas as políticas do governo que nos mantêm unidos, mas também as organizações, incluindo organizações locais, que podem trabalhar para promover o acesso à educação, podem tentar levar cuidados de saúde para pessoas que não podem pagar por isso, que podem tentar lidar com o problema da violência nas favelas e outras comunidades... As instituições locais da sociedade civil são muito importantes. Especialmente nas áreas de saúde e educação, as organizações comunitárias têm um papel muito importante a desempenhar na construção do tipo de solidariedade que, com muita freqüência, nossos políticos deixam de apoiar e promover. A mídia também tem um papel muito importante na tentativa de promover um diálogo civil mais substantivo, respeitoso. A democracia precisa desse diálogo. Ele precisa chamar a atenção de pessoas de todas as origens sociais e econômicas. E, se a mídia presta atenção apenas aos tipos de provocações mais sensacionalistas e ultrajantes, o discurso público se transforma em uma espécie de jogo de gritos onde ninguém está ouvindo um ao outro. As pessoas estão simplesmente reforçando e gritando sua própria opinião. A mídia tem um papel importante a desempenhar na criação de um tipo melhor de discurso público.

Coronavirus en Argentina: el Gobierno decidió prohibir todos los vuelos hasta septiembre.

https://www.lanacion.com.ar/economia/el-gobierno-decidio-prohibir-todos-vuelos-septiembre-nid2358311

DW: Faz sentido comparar danos do coronavírus aos da 2ª Guerra?

https://www.dw.com/pt-br/faz-sentido-comparar-danos-do-coronav%C3%ADrus-aos-da-2%C2%AA-guerra/a-53243871

El País: Angela Merkel - El éxito de la canciller científica que encandila al mundo.

https://elpais.com/internacional/2020-04-25/el-exito-de-la-canciller-cientifica-que-encandila-al-mundo.html

O Globo: Persio Arida aponta os erros na economia.

https://blogs.oglobo.globo.com/miriam-leitao/post/persio-aponta-os-erros-na-economia.html

– Do outro lado, é a ideia do crowding out, de que quando retrai o PIB do governo aumenta o PIB privado, ou seja, basta conter o governo que a iniciativa privada floresce e, como a iniciativa privada é mais produtiva que o gasto do governo, o PIB cresce. Isso é uma agenda simplória, errada macroeconomicamente. Para crescer você precisa de uma outra agenda, que é a abertura de bens comerciais e serviços, privatizações, reforma do Estado e reforma tributária. São essas quatro coisas que fazem o país crescer rápido. Curiosamente o governo não tocou em nenhuma delas. Nunca enviou uma reforma tributária, nem a administrativa, para o Congresso. Não fez abertura alguma, assinou um acordo com a União Europeia que já nasceu velho e não será ratificado porque Bolsonaro atacou o Macron, então esquece – diz Persio.

Gustavo Franco no ESTADÃO - Economia: 45 dias de corona.

Gustavo H.B. Franco, O Estado de S.Paulo
26 de abril de 2020 | 04h00

Com um mês e meio do início oficial da pandemia (a declaração da Organização Mundial da Saúde é de 11 de março), o estrago sobre a economia é imenso e, pior, não está completo. 

As primeiras projeções para o crescimento do PIB em 2020 começaram a aparecer, o aspecto é péssimo, mesmo considerando as dosagens elevadas de pudor e genuína contrição nesses primeiros esforços.

Estamos falando de quedas superiores a 5% para 2020, mas, na hipótese otimista e irreal, que no segundo semestre de 2020 voltaremos à “normalidade pré-corona”, o que nem mesmo a Militância Bolsonarista da Terceira Idade de Taubaté acredita que vá acontecer. 

Na verdade, se os números do segundo semestre forem afetados por alguma restrição espontânea de mobilidade e consumo, o que é bem provável, a conta para o PIB em 2020 vai ficar mais próxima de uma queda de dois dígitos. 

A mesma dinâmica se observa para o resto do mundo, para o qual a projeção do FMI é de 3% de queda, mas na improvável hipótese de uma recuperação forte no segundo semestre.

Terrível.

Além de terrível, pode-se certamente acrescentar “inesperado” e talvez um “imerecido”. Mas não vale discutir, nem tem muita importância mesmo, pois é o que temos para hoje e o que vale, para a política, é o que os advogados designam como “responsabilidade objetiva”, ou, na linguagem do Conselheiro Acácio, a responsabilidade é do responsável independentemente de culpa ou merecimento. Vai para a conta da liderança.

De acordo com um velho teorema que aprendi em Brasília, e de aplicação global, é muito difícil a liderança política se aguentar (na próxima eleição) com a economia naufragando desse jeito, independentemente de culpa e dolo. 

Isso é mais ou menos como dizer que nenhum tripulante graduado do Titanic tem muita chance de ser popular junto aos passageiros e seus familiares. Fica ainda mais difícil quando houver gente morrendo sem conseguir entrar nas UTIs, sobretudo na periferia da Belíndia. Por ora, vamos lembrar, a “curva” brasileira reflete a evolução na nossa população belga, daqui para frente, no entanto, vai ser como na Índia.

Claro que um ou outro líder pode destoar: Boris Johnson, por exemplo, ao ficar doente, experimentou o equivalente à facada de Bolsonaro durante a eleição, e vai sair da crise melhor que a média, assim como Jair Bolsonaro, por conta da “gripezinha”, entre outras malcriações e maus exemplos, vai sair pior, muito pior.

Sendo assim, e considerando que o fenômeno é global, o prognóstico é ruim para os políticos no poder, de modo que, provavelmente, vamos ter o encerramento desses populismos de quinta categoria ocorrendo em vários países, incluindo este aqui onde estamos. A ver.

Há algo de perverso, todavia, nessas más notícias do PIB saindo justamente no ápice do debate sobre a transição do confinamento geral para algo diferente, cujos protocolos estão ainda em discussão. A sofreguidão com as consequências políticas de um PIB muito ruim pode enviesar a decisão para uma abertura muito grande ou muito rápida, o que pode custar vidas e levar à volta de medidas mais restritivas no segundo semestre do ano, arruinando de vez o PIB de 2020.

Tudo isso não obstante, o presidente, neste mês e no meio da pandemia, deu duas demonstrações de desapreço à autonomia dos órgãos de Estado que lidam com a Saúde e com a Polícia, e que resultaram nas demissões dos ministros Mandetta e Moro.

É natural que o mercado financeiro volte a flertar um terceiro pavor que seria o desapreço à autonomia dos órgãos de Estado que lidam com a Economia e a possível substituição do ministro Paulo Guedes por “alguém mais afinado”, e “que possa interagir” com o presidente. Essa possibilidade precisaria ser afastada o mais rápido possível: o presidente teve 40 minutos em cadeia nacional para fazê-lo, mas, quando não falou de Sérgio Moro, tratou de aquecimento da piscina.

Por tudo isso, o ministro Guedes precisa ficar maior, e a turma do gabinete do ódio precisa ficar menor. Não existe outra receita para baixar a temperatura dessa crise.

* EX-PRESIDENTE DO BANCO CENTRAL E SÓCIO DA RIO BRAVO INVESTIMENTOS. ESCREVE NO ÚLTIMO DOMINGO DO MÊS 

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,economia-45-dias-de-corona,70003282903

sábado, 25 de abril de 2020

La Nacion: Nuevas proyecciones. A cuánto llegará el dólar y cómo podría cerrar la inflación en 2020.

https://www.lanacion.com.ar/economia/pandemia-deuda-a-cuanto-llegara-dolar-como-nid2357424

El País: ‘Bella Ciao’, a história por trás do hino da liberdade e da resistência.

https://brasil.elpais.com/cultura/2020-04-25/bella-ciao-a-historia-por-tras-do-hino-da-liberdade-e-da-resistencia.html

DW: Cortaram as asas do Paulo Guedes.

https://www.dw.com/pt-br/cortaram-as-asas-do-guedes/a-53220833

Reuters: Facebook entra em mercado de videoconferência com Messenger Rooms.

https://br.reuters.com/article/internetNews/idBRKCN226322-OBRIN

Reuters: Real bate mínima histórica e tem pior semana em 11 anos com escalada em tensão política.

https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN22638I-OBRBS

quarta-feira, 22 de abril de 2020

Crítica | Homeland – 8X11: The English Teacher.

https://www.planocritico.com/critica-homeland-8x11-the-english-teacher/

There’s a growing possibility of a W-shaped economic recovery — and it’s scary.

https://www.washingtonpost.com/business/2020/04/22/theres-growing-possibility-w-shaped-economic-recovery-its-scary/

Joseph Stiglitz attacks Donald Trump, saying US on course for second Great Depression.

https://www.theguardian.com/business/2020/apr/22/top-economist-us-coronavirus-response-like-third-world-country-joseph-stiglitz-donald-trump

Reuters: Arrecadação federal cai 3,32% e tem pior março em 10 anos, afetada por coronavírus.

https://br.reuters.com/article/topNews/idBRKCN22422F-OBRTP

Reuters: Dólar vai a R$5,36 com 'crash' do petróleo e expectativas sobre corte da Selic.

https://br.reuters.com/article/topNews/idBRKCN2241SO-OBRTP

DW: O avanço ilegal da soja sobre a floresta.

https://www.dw.com/pt-br/o-avan%C3%A7o-ilegal-da-soja-sobre-a-floresta/a-52242760

DW: Por que o preço do petróleo despencou?

https://www.dw.com/pt-br/por-que-o-pre%C3%A7o-do-petr%C3%B3leo-despencou/a-53202121

DW: Empresas alemãs são criticadas por pagarem dividendos em meio à pandemia.

segunda-feira, 20 de abril de 2020

50 dicas do que assistir no streaming para tornar a quarentena menos monótona.

https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2020/04/confira-50-dicas-do-que-assistir-no-streaming-para-tornar-a-quarentena-menos-monotona.shtml

Junto com a Covid-19 e o isolamento social que ela impôs, veio também a oportunidade de conhecer novos filmes e séries, recuperar temporadas abandonadas e revisitar clássicos queridos, já que agora boa parte do tempo é dedicado às telas que nos cercam.
Graças à revolução que o streaming causou na indústria do audiovisual, hoje não faltam opções de lazer para quem não pode sair de casa. A oferta de conteúdos é gigantesca.
Pensando nisso, a Folha reuniu críticos e jornalistas das áreas de cinema e televisão para selecionar dicas do que assistir em diferentes plataformas e, assim, tornar a quarentena menos sofrida. É só apagar a luz, acomodar-se no sofá, estourar a pipoca e escapar da crise que assola o mundo.

Moisés Naím no El País: Problemas grandes, líderes pequenos.

https://brasil.elpais.com/opiniao/2020-04-19/problemas-grandes-lideres-pequenos.html

DW: + As últimas notícias sobre a pandemia de coronavírus em 20/04/20 +

https://www.dw.com/pt-br/as-%C3%BAltimas-not%C3%ADcias-sobre-a-pandemia-de-coronav%C3%ADrus/a-53184870

sexta-feira, 17 de abril de 2020

Dólar cai no dia, mas sobe 2,85% na semana, e vai a R$ 5,236; Bolsa avança.

https://economia.uol.com.br/cotacoes/noticias/redacao/2020/04/17/fechamento-dolar-bolsa.htm

Sem solidariedade agora, as democracias vão perder depois da pandemia, avisa Macron.

https://www.publico.pt/2020/04/17/mundo/noticia/solidariedade-democracias-vao-perder-pandemia-avisa-macron-1912753

Coronavirus: five months on, what scientists now know about Covid-19.

https://www.theguardian.com/world/2020/apr/17/coronavirus-five-months-on-what-scientists-now-know-about-covid-19

Watch One World: Together At Home - April 18.



Where: Brazil
How: Watch on TV, Online and VOD
When: April 18 | 8-10P ET
April 18 | 11:45P-1:45A ET (TV Globo)
TV: Multishow, TV Globo
Online: Globoplay, Música Multishow on Youtube

IGP-M acumula taxa de inflação de 6,89% em 12 meses, diz FGV.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-04/igp-m-acumula-taxa-de-inflacao-de-689-em-12-meses-diz-fgv

DW: PIB da China despenca no primeiro trimestre de 2020.

https://www.dw.com/pt-br/pib-da-china-despenca-no-primeiro-trimestre/a-53160543

Global Times: What's next for China after record 6.8% GDP fall?

https://www.globaltimes.cn/content/1185949.shtml

quinta-feira, 16 de abril de 2020

NYT: It’s the End of the World Economy as We Know It.

https://www.nytimes.com/2020/04/16/upshot/world-economy-restructuring-coronavirus.html?action=click&module=Top%20Stories&pgtype=Homepage

DW: O elo entre desmatamento e epidemias investigado pela ciência.

https://www.dw.com/pt-br/o-elo-entre-desmatamento-e-epidemias-investigado-pela-ci%C3%AAncia/a-53135352

The Economist:Is China winning?




https://www.economist.com/printedition/2020-04-18

Estadão: A pandemia nas contas públicas.

https://opiniao.estadao.com.br/noticias/notas-e-informacoes,a-pandemia-nas-contas-publicas,70003272547


Quando a pandemia ceder e a mortandade cair, o Brasil começará a pagar a conta dos gastos emergenciais para proteção da vida e apoio aos trabalhadores. Até dezembro o rombo nas contas públicas poderá chegar a R$ 600 bilhões, sem contar os juros. O buraco previsto no começo do ano será multiplicado por quatro ou cinco. O governo geral estará muito mais endividado. No fim de 2020 a dívida bruta poderá estar entre 85% e 90% do Produto Interno Bruto (PIB). Em fevereiro, estava em R$ 611 bilhões e a proporção era de 76,5%. Com muito trabalho, a equipe econômica tentava mantê-la abaixo de 80%. 

quarta-feira, 15 de abril de 2020

AFP: Cresce desastre econômico nos EUA por pandemia de COVID-19.

https://www.afp.com/pt/noticia/3958/cresce-desastre-economico-nos-eua-por-pandemia-de-covid-19-doc-1qm5dq1

Dólar sobe para R$ 5,24 e fecha no maior valor em nove dias.

https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-04/dolar-sobe-para-r-524-e-fecha-no-maior-valor-em-nove-dias

Piauí: A vida na quarentena.

https://piaui.folha.uol.com.br/vida-na-quarentena/

Estadão: Por que os fundos DI pagaram rendimento negativo?

https://economia.estadao.com.br/blogs/regina-pitoscia/por-que-os-fundos-di-pagaram-rendimento-negativo/

Reuters: Governo define meta de déficit primário de R$149,6 bi para 2021 e indica 10 anos de contas no vermelho.


BRASÍLIA (Reuters) - O governo definiu nesta quarta-feira a meta de déficit primário para 2021 em 149,61 bilhões de reais, ante indicação anterior de 68,5 bilhões de reais, oitavo rombo consecutivo nas contas públicas do governo central (Tesouro, Banco Central e Previdência), conforme projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias enviado ao Congresso.

A meta veio em linha com número divulgado na véspera pela Reuters.

Em apresentação divulgada pelo Ministério da Economia, o governo mencionou a permissão no texto para “atualização da meta de déficit primário pelas estimativas de receita e de despesas definidas pela regra do Teto dos Gastos no projeto da Lei Orçamentária Anual (PLOA-2021), LOA e relatórios bimestrais e extemporâneos.

“A política fiscal se apoia no teto dos gastos, que atua pelo lado da despesa, dada a incerteza para previsão da receita para 2021, mitigando os riscos de shutdown e garantindo o compromisso com a solvência das contas públicas”, afirmou o Ministério da Economia.

O Globo: Por que é preciso tornar a ler Sartre, quarenta anos depois de sua morte.


Assim, Sartre, o homem que morreu há exatos quarenta anos, um dos mais influentes pensadores de sua época, soube expressar a revolta do inconformismo servindo-se de sua pena e de seu pensamento em registros diversos. Filósofo, concebeu uma das grandes obras do existencialismo, “O ser e o nada” (1943), percorrendo algo como 600 páginas de recusa a toda forma de determinismo e de sentido pré-fixados em nossa condição existenciária. Ficcionista, redigiu “A náusea” (1938), seu mais célebre romance, no qual a personagem principal faz a experiência da radical gratuidade da existência e a descoberta do assédio da objetividade indiferenciada das coisas sobre a consciência. Dramaturgo, compôs peças teatrais nas quais suas personagens se entregam de má-fé a uma vontade alheia, fixando-se em determinações que lhe são dadas em exterioridade em lugar de assumirem a responsabilidade por suas próprias existências. Jornalista, foi um dos fundadores da revista “Os tempos modernos” (1945), publicação destinada à realização de uma experiência concreta da liberdade por meio do radical compromisso do escritor com sua própria época. Ativista, intelectual militante, engajou-se politicamente na causa da revolução, mas preservou independência ao definir-se como um “companheiro de rota” dos comunistas, produzindo uma crítica severa ao “método de Terror” da burocracia stalinista e seu empreendimento de eliminação violenta de toda dissidência.

Las 17 mejores películas cómicas en Netflix.

https://www.espinof.com/listas/mejores-peliculas-comedia-netflix

DW: Merkel e rainha Elizabeth mostram como se faz numa pandemia.

https://www.dw.com/pt-br/opini%C3%A3o-merkel-e-rainha-elizabeth-mostram-como-se-faz/a-53089633

Global Times: Global soybean markets face major virus uncertainty.

https://www.globaltimes.cn/content/1185619.shtml

El País: El FMI prevé que la deuda pública española escalará hasta el 115% del PIB en 2021, el máximo desde 1902.

https://elpais.com/economia/2020-04-15/la-deuda-publica-espanola-escalara-el-ano-que-viene-hasta-el-115-del-pib-el-nivel-mas-alto-desde-1902.html

terça-feira, 14 de abril de 2020

NYT: The Global Coronavirus Crisis Is Poised to Get Much, Much Worse.

https://www.nytimes.com/2020/04/13/opinion/coronavirus-cases.html?action=click&module=Opinion&pgtype=Homepage

Yuval Noah Harari no El País: Na batalha contra o coronavírus, a humanidade carece de líderes.



Neste momento de crise, a batalha crucial está sendo travada dentro da própria humanidade. Se a epidemia criar mais desunião e desconfiança entre os seres humanos, o vírus terá obtido sua maior vitória. Quando os humanos brigam, os vírus se duplicam. Em troca, se a epidemia produzir uma maior cooperação mundial, essa será uma vitória não só contra o coronavírus, mas contra todos os futuros agentes patogênicos.
Yuval Noah Harari é historiador e filósofo.
© Yuval Noah Harari 2020. Publicado na TIME.

DW: Número de casos de covid-19 no Brasil é 15 vezes maior que o oficial, diz estudo.

https://www.dw.com/pt-br/n%C3%BAmero-de-casos-de-covid-19-no-brasil-%C3%A9-15-vezes-maior-que-o-oficial-diz-estudo/a-53118226

Paul Krugman: Cronies, cranks and the coronavirus - April 14, 2020 - NYT.


Author Headshot
Opinion Columnist

Trying to predict Trump administration actions really is like Kremlinology, updated for the age of social media. There’s clearly no formal policy process; Donald Trump acts on impulse and intuition, often shaped either by whoever he last met or what he last saw on Fox News, making no use of the vast expertise he could call on if he were willing to listen. Those of us on the outside, and from all accounts, even many people within the administration try to infer what’s coming next from tweets and statements by people presumed to be in favor at the moment.

So what does Trumplinology suggest right now? That Trump really, really wants to end the economy’s lockdown very soon. Early Monday Trump tweeted out an assertion that he has the power to overrule state governors who have imposed lockdown orders — which suggests that we may have a constitutional crisis brewing, because as far as anybody knows he has no such power. Meanwhile, in an interview with The New York Times, Peter Navarro, Trump’s trade czar, argued that a weak economy might kill more people than the virus.

The thing is, as far as I can tell epidemiologists are united in the belief that it’s far too soon to be considering any relaxation of social distancing. The lockdowns across America do seem to have flattened the curve, allowing us to avoid — just — completely overwhelming the health care system. New cases may have peaked. But you don’t want to let up until you’re in a position to do so without giving the pandemic a second wave. And we’re nowhere close to that point.

So where’s this coming from? I’ve seen some people portray it as a conflict between epidemiologists and economists, but that’s all wrong. Serious economists know what they don’t know — they recognize and respect experts from other disciplines. A survey of economists found almost unanimous support for “tolerating a very large contraction in economic activity until the spread of infections has dropped significantly.”

No, this push to reopen is coming not from economists but from cranks and cronies. That is, it’s coming on one side from people who may describe themselves as economists but whom the professionals consider cranks — people like Navarro or Stephen Moore, who Trump tried unsuccessfully to appoint to the Federal Reserve Board. And on the other, it’s coming from business types with close ties to Trump who suffer from billionaire’s disease — the tendency to assume that just because you’re rich you’re also smarter than anyone else, even in areas like epidemiology (or, dare I say it, macroeconomics) that require a great deal of technical expertise.

And Trump, of course, who was planning to run on the strength of the economy, desperately wants to wish the coronavirus away.

The reality is that we shouldn’t consider opening the economy until we have both reduced infections dramatically and vastly increased testing, so we can crack down quickly on any potential re-emergence.


The Great Lockdown: Worst Economic Downturn Since the Great Depression.

https://blogs.imf.org/2020/04/14/the-great-lockdown-worst-economic-downturn-since-the-great-depression/

DW: O Banco Central vai usar dinheiro do contribuinte para comprar "títulos podres"?

https://www.dw.com/pt-br/o-banco-central-vai-usar-dinheiro-do-contribuinte-para-comprar-t%C3%ADtulos-podres/a-53101745

Estadão: Lições de Winston Churchill para líderes globais em tempos de crise.




Era 1945. A segunda grande guerra havia acabado. Havia acabado! E esse foi o sinal para uma explosão de alegria em todo mundo. O dever de deter o inimigo maior havia sido concluído com um desfecho pouco provável cinco anos antes, quando poucos se colocaram à frente de Hitler. Um desses homens era Winston Churchill. Naquele momento de vitória, se dirigindo à nação que havia sofrido o impensável, o primeiro-ministro surpreendeu. Como era habitual. “Gostaria de poder dizer-lhes esta noite que toda a nossa labuta e todos os nossos problemas estão terminados.” Não estavam, como a maioria testemunharia pelas décadas seguintes.

segunda-feira, 13 de abril de 2020

UOL: Dólar sobe após quatro quedas e fecha a R$ 5,186; Bolsa avança 1,5%.

https://economia.uol.com.br/cotacoes/noticias/redacao/2020/04/13/fechamento-dolar-bolsa.htm

Coronavírus: Covid-19 é dez vezes mais letal que H1N1, diz OMS.

https://veja.abril.com.br/saude/covid-letalidade-h1n1/

Washington’s hysterical COVID-19 claims will fail.

https://www.globaltimes.cn/content/1185512.shtml

Russian alarm on imported infection risk: Global Times editorial.

https://www.globaltimes.cn/content/1185509.shtml


China and Russia are comprehensive strategic partners of coordination for a new era. They should have enough political will and resources to coordinate supporting Russia's anti-epidemic fight and helping the Chinese people in Russia. China and Russia should help and understand each other, and jointly defeating a vicious enemy such as the COVID-19 as they build a high-level strategic relationship.

Quarentena abre oportunidade para rever 'Família Soprano', da HBO.

https://kogut.oglobo.globo.com/noticias-da-tv/series/noticia/2020/04/quarentena-abre-oportunidade-para-rever-familia-soprano-da-hbo.html

Estadão: Programação de lives desta semana terá The Killers; confira a agenda completa.

https://emais.estadao.com.br/noticias/gente,programacao-de-lives-desta-semana-tera-the-killers-confira-a-agenda-completa,70003269404

Testes desenvolvidos na USP tornarão diagnóstico da covid-19 mais acessível.

https://jornal.usp.br/ciencias/testes-desenvolvidos-na-usp-tornarao-diagnostico-da-covid-19-mais-rapido-e-acessivel/

Crise em 2020 pode ser equivalente a 2 anos de Dilma, diz Delfim Netto ao UOL.

https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2020/04/13/pib-coronavirus-delfim-netto.htm


  • Queda do PIB será da ordem de 6% em 2020, segundo economista e ex-ministro da Fazenda Antônio Delfim Netto
  • A renda por pessoa vai cair cerca de 7%, afirma ex-ministro da Fazenda
  • Crise causada pelo coronavírus agravou um quadro que já não era positivo, afirma Delfim Netto

El País: Banco Mundial projeta uma queda no PIB de 4,6% na América Latina, a maior desde que há registros.

AP: Health or wealth? Nations pressured to loosen virus rules.

https://apnews.com/f68fa688b76c2853d22a3c765042f066

domingo, 12 de abril de 2020

Daron Acemoglu hoje no La Nacion: "Ahora necesitamos empoderar a los Estados y trabajar muy duro para controlarlos y contenerlos".

https://www.lanacion.com.ar/el-mundo/daron-acemoglu-ahora-necesitamos-empoderar-a-los-estados-y-trabajar-muy-duro-para-controlarlos-y-contenerlos-nid2353255



El economista turco, uno de los más prestigiosos del mundo, afirma que esta pandemia es un punto de inflexión, como lo fue la peste negra, y advierte que la crisis desnudó cuán inadecuadas son muchas de nuestras instituciones.

"Vivimos tiempos tumultuosos, inciertos y peligrosos", dice el economista nacido en Turquía. "Necesitamos que el Estado juegue un rol mayor para reforzar la red de protección social, evitar que la gente caiga en la pobreza, rescatar a los comercios e incluso usar todo tipo de herramientas para rastrear quien está contagiado y cómo está esparciéndose la infección. Todo esto podría resultar una receta para un nuevo tipo de totalitarismo. Pero no hay nada inevitable en todo esto", subraya. "No podemos ser complacientes cuando se trata del Estado y los políticos poniéndose dominantes. Pero también estaríamos cometiendo un grave error si atáramos las manos de las instituciones estatales para lidiar con la crisis actual. Necesitamos empoderarlas ahora y trabajar muy duro para controlarlas y contenerlas".

Global Times: Can China's exports survive pandemic after surviving domestic outbreak?

https://www.globaltimes.cn/content/1185392.shtml

Bill Gates no El País: Una estrategia mundial contra la Covid-19.

https://elpais.com/elpais/2020/04/11/opinion/1586600730_628755.html

Pedro Malan no Estadão de 12/04/2020: Espinhosa travessia.



Com efeito, lideranças nacionais serão inevitavelmente avaliadas não só pela opinião pública doméstica, como também pela percepção dos outros países. Importa como nos vemos, mas importa também como somos vistos por outros. Afinal, 2020 será marcado por uma brutal recessão na economia mundial e no comércio internacional, muito mais intensa que a de 2008/09. A magnitude dos efeitos sobre oferta, cadeia de suprimentos, demanda e, portanto, sobre emprego e renda não permitirá uma recuperação rápida em 2021. Pesa, ademais, o receio de uma segunda onda da covid-19 ainda em 2020.

DW: O sistema imunológico na luta contra o novo coronavírus.

https://www.dw.com/pt-br/o-sistema-imunol%C3%B3gico-na-luta-contra-o-novo-coronav%C3%ADrus/a-53066626

DW - Coronavírus: Papa Francisco defende anular dívida de países pobres.

https://www.dw.com/pt-br/coronav%C3%ADrus-papa-defende-anular-d%C3%ADvida-de-pa%C3%ADses-pobres/a-53100306

Estadão: Opção pela vida.




Os líderes mais inteligentes e responsáveis perceberam de pronto que priorizar a vida ou a economia é um falso dilema. Evidentemente, medidas de proteção da vida devem preceder todas as outras. Primeiro, por um imperativo moral, humanitário. Segundo, por uma questão pragmática: não há economia que pare de pé, em nenhum país do mundo, tendo deixado um rastro interminável de mortos. E é isto o que acontecerá se apenas determinados grupos forem isolados. Por ignorância ou má-fé, os que apostam no isolamento seletivo para mitigar os efeitos da pandemia na atividade econômica não levam em conta que, mesmo permanecendo em casa, pessoas nos grupos de risco estarão sempre expostas ao contágio pelo contato com as que foram liberadas para sair às ruas. É elementar.

Yuval Noah Harari no Estadão de 12/04/2020.

https://www.estadao.com.br/infograficos/cultura,precisamos-entender-que-essa-e-uma-crise-politica-e-nao-apenas-de-saude,1088614

Yuval Harari: Uma coisa muito importante é que, nessa crise, nosso maior inimigo não é o vírus, mas nossos próprios demônios interiores. É o nosso ódio. É a nossa ganância. É a nossa ignorância. São pessoas que incitam nosso ódio, culpando a epidemia em algum grupo humano e nos dizendo para odiá-los. É a nossa ganância. São grandes empresas que dizem: “Ei! Temos tido dificuldades ultimamente, talvez possamos aproveitar essa oportunidade para fazer com que o governo nos dê bilhões de dólares”. São pessoas que não ouvem a ciência. Em vez disso, ouvem todos os tipos de teorias da conspiração. Se conseguirmos derrotar nossos demônios interiores – ódio, ganância, ignorância –, não apenas venceremos o vírus com muito mais facilidade, como seremos capazes de construir um mundo muito melhor depois que a crise acabar. Espero que seja exatamente isso que faremos.

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Os lançamentos da Netflix em abril de 2020.

https://canaltech.com.br/entretenimento/lancamento-netflix-abril-2020-162632/

AP: Wall Street caps best week since 1974 on latest Fed stunner.

https://apnews.com/240b6acb21c71327e595d1986b3aa560

AF: IMF head sees worst economic downturn since Great Depression.

The Economist: The crisis will change the world of commerce.





Liturgias do Tríduo e Via-Sacra, a Páscoa essencial do Papa Francisco neste 2020.

 https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2020-04/liturgias-triduo-pascal-via-sacra-pascoa-essencial-papa.html

Marcos Lisboa: A conversa intelectual do economista.

  https://braziljournal.com/marcos-lisboa-a-honestidade-intelectual-do-economista Leia mais em  https://braziljournal.com/marcos-lisboa-a-ho...