Pular para o conteúdo principal

DONA RUTH - SAUDADE

Neste mundo de tantas noticiais, estou triste com a morte de dona Ruth. Por duas vezes, em Brasília, estive com sua filha e, na época, secretária do pai: uma vez no Planalto e outra na residência da filha. Apesar de não ter sido aluno de dona Ruth, sempre mantive por ela grande admiração. Uma mulher inteligente, culta, discreta, honesta, ponderada, educada, firme, autêntica e, além de preocupada em melhorar o mundo, ela fazia a sua parte. E muito bem. Casada com um intelectual brilhante, não permanecia à sua sombra. Se por trás de um grande homem existe uma grande mulher, neste caso eu não tenho nenhuma dúvida. Ela, além do exemplo, deixa-nos grande SAUDADE.

Comentários

Márcio Laurini disse…
João

Realmente uma grande perda, um símbolo de um país que um dia acreditou na educação e na cultura.

Quanto ao seu comentário, só tiro férias das aulas, continuo trabalhando o dia todo.
Elaine Luz disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Elaine Luz disse…
Caro Jonh,

Uma grande mulher, e como vc mesmo colocou nunca esteve a sombra.
Como outras que estão ou já estiveram em seu lugar.

Bom domingo

Postagens mais visitadas deste blog

Gustavo Franco: "Precisamos falar sobre herança."

Neste domingo de outono brasileiro, Gustavo Franco é mais uma vez preciso e didático ao evidenciar a situação atual da economia brasileira. 
Segundo ele, "E não por acidente as quedas no PIB do biênio 2015 e 2016, que se espera que atinjam 3,8% e 3,8%, ultrapassam o que se observou nos anos da Grande Depressão, 1930-31, quando as quedas foram de 2,1% e 3,3%. É fundamental que se tenha clara a exata natureza e extensão da herança, para que as dores inerentes ao árduo trabalho de reconstrução financeira e fiscal do crédito público sejam associadas a quem produziu a doença, e não ao médico."
Um texto para ler e reler.
No ESTADÃO: http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,precisamos-falar-sobre-heranca,10000053939

Revista EXAME: Como roubar uma empresa.

Brasil: PIB 2007 - 2017 com previsões otimistas? Melhor não...

Para iniciar esta semana, neste domingo de sol no nosso outono brasileiro e considerando que o primeiro trimestre de 2016 já é passado, vide acima os resultados do PIB brasileiro para o período de 2007 - 2017, evidentemente com as previsões para os anos de 2016 e 2017. 

Diante desses números e da complexa situação econômica e política brasileira, consideramos muito otimismo um resultado de 1,5% do PIB para 2017.
Porém, como sonhar ainda não está sendo tributado...