Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

CARTA AOS PRESIDENCIÁVEIS - TROSTER

Conheci Roberto Luis Troster em São Paulo, quando o mesmo era o economista-chefe da FEBRABAN. Trata-se de profissional de extrema competência e que publicou no VALOR de 25/05/10, que recebi através do professor Carlos Pio, carta aberta aos atuais candidatos à Presidência. Pela inteligência, questionamentos, inquietações e didática da mesma, tenho que publicá-lo no meu blog. Além do que, como estive ausente deste espaço por alguns dias, o texto resume também o que pensamos neste ano tão importante para o BRASIL. Prezados Dilma, Marina e José. Saudações!É oportuno que se conheça o perfil das pessoas que ajudarão a fazer com que o Brasil ocupe o destino que ambiciona.Os três têm credenciais para ocupar o cargo que postulam, vontade de fazer acontecer e aparentam consenso sobre as linhas mestras da condução econômica: câmbio flexível, responsabilidade fiscal e o regime de metas de inflação. Entretanto, os pormenores de suas propostas são desconhecidos, gerando incertezas desnecessárias.

A THE ECONOMIST DESTA SEMANA!

Mais uma vez a THE ECONOMIST vem com uma capa que representa muito bem a situação da ECONOMIA no mundo de hoje.

A MENSAGEM DE ARMÍNIO FRAGA

Hoje na FOLHA DE S. PAULO, o presidente do Banco Central entre 1999 e 2002, sócio da Gávea Investimentos, economista Armínio Fraga, 52, afirma que, se o próximo governo não enfrentar uma reforma na Previdência, permitirá criar a base para uma nova crise no futuro. Fraga defende a imposição de limite ao endividamento do governo e diz que o Brasil, hoje, é obrigado a desacelerar o crescimento porque, além de investir pouco, deixou de cuidar da educação. Leia os principais trechos da entrevista.Folha - O Brasil levou 40 anos para voltar a crescer ao ritmo do Milagre Econômico [de 1968 a 1973]. Agora, temos que desacelerar para não gerar inflação. O que faltou? Armínio Fraga- Investir mais e educar melhor. Não há país bem-sucedido que não tenha feito esforço importante na educação ou que tenha se desenvolvido só com recursos naturais. Está claro onde temos que trabalhar para que a economia sustente um ritmo maior de expansão, principalmente em infraestrutura. Há investimentos estrangeiros pr…

O BRASIL MERECE MUITO MAIS!!!

Em tempos de eleição presidencial, uma reflexão com PAULO RABELLO DE CASTRO, com o sugestivo nome: “O BRASIL MERECE MUITO MAIS”, na FOLHA DE S. PAULO de 19/05/10. E nós, que andamos nas ruas e estradas deste Brasil, lugares onde nossos governantes desconhecem (afinal, para que querem aviões...), sabemos quanto falta para que o BRASIL seja realmente um país desenvolvido. E a educação onde fica? E a saúde? E o saneamento básico? E a ausência de respeito ao cidadão como sustentáculo desse ESTADO que aí está para SERVIR e não para ser utilizado como instrumento patrimonial de quem está na cadeira principal? Espero que nesta eleição de 2010 vença o ou a melhor candidato (a), contanto que realmente possamos dizer que o país do futuro é HOJE e que ele pode ser MAIS. Tenho sido questionado por muita gente sobre qual o candidato ou candidata "mais adequado" a suceder o presidente Lula. Com quem converso, simpatias à parte, dúvidas persistem sobre o perfil das propostas de cada um. Af…

DEMOGRAFIA - A AMEAÇA INVISÍVEL!

Hoje, na FOLHA DE S. PAULO, uma entrevista com o economista Fabio Giambiagi, um incansável defensor de mudanças nas regras da Previdência Social no Brasil. Seu mais novo livro, "Demografia - A Ameaça Invisível", escrito em parceria com Paulo Tafner, pesquisador do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), joga luz sobre o envelhecimento da população no Brasil e os desafios que isso impõe à sustentabilidade das contas públicas. A obra defende, entre outras coisas, que benefícios assistenciais sejam diferenciados dos previdenciários e que o salário mínimo deixe de indexar os pagamentos da Previdência -mudanças impopulares e que requerem alterações constitucionais. Giambiagi, ex-professor da UFRJ e da PUC-Rio, ex-membro do Ipea e hoje chefe do Departamento de Risco de Mercado do BNDES, é autor de mais de dez livros sobre economia. FOLHA - "Demografia - A Ameaça Invisível" pressupõe a existência de uma bomba demográfica que vai estourar, deixando a conta para as…

HOMEM DO ANO 2010!

Festa no The Waldorf Astoria próxima quinta-feira, 20/05/10, para homenagear HENRIQUE MEIRELLES, presidente doBACEN, com otítulo de “Personalidade do Ano de 2010”. O evento é organizado anualmente pelaBrazilian-American Chamber of Commerce (Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos) e, nestes tempos de crise, o homenageado fez por merecer. PARABÉNSMeirelles!

SCHWARTSMAN E A GRÉCIA.

ALEXANDRE SCHWARTSMAN - http://maovisivel.blogspot.com/, também hoje na FOLHA DE S. PAULO, com o artigo Timeo Danaos et dona ferentes, frase da "Eneida", de Virgílio, que significa "Eu temo os gregos, mesmo que tragam presentes", escreve sobre o assunto que vem dominando a economia mundial: É impossível não falar da atual crise grega (europeia), seja para discutir suas causas, seja para, como pretendo hoje, pensar nas suas possíveis consequências, em particular para a economia brasileira. Será que, como em 2008, a crise externa pode descarrilar a retomada do crescimento vista nos últimos cinco trimestres? Para responder a essa pergunta, temos antes que saber quais são seus potenciais canais de transmissão para o Brasil.O primeiro é o fenômeno conhecido como "fuga para a qualidade". Em que pese o epicentro da crise de crédito de 2008 ter sido a economia dos EUA, tanto naquela época como agora observamos que investidores, num cenário de turbulência, preferem…

DELFIM NETTO E O FMI!

Conforme ANTONIO DELFIM NETTO, na FOLHA DE S. PAULO de hoje, “O FMI melhorou.” Será que ele tem razão? É fato conhecido que, no Brasil, o mais importante para a aceitação de uma "teoria" é que ela seja exposta em inglês.Sua conformação com nossa realidade e nossa história é, em geral, um acidente de menor importância. Que tais construções são mais "modismo" do que "ciência" nunca foi tão visível como no comportamento recente dos economistas do FMI. Estes costumavam impor sua ideologia como "ciência" a todos os países que lhe pediam ajuda. A geografia, a história e a organização política de cada um deles não lhes interessavam. Eram todos elementos pertencentes a um mesmo conjunto abstrato de países supostamente controlados por um mesmo modelo de equilíbrio, que respondia a uma ciência econômica universal. Esta, em lugar de ser parte de um todo social, era o próprio todo. Nem mesmo a distinção entre países "desenvolvidos" e "em des…

O PROFETA NOURIEL ROUBINI!

Acompanhar com atenção o que fala o Professor NOURIEL ROUBINI é sempre conhecer o que pensa um dos primeiros a alertar para a crise de 2008. Abaixo trecho de sua entrevista a DER SPIEGEL. Spiegel: Você ganhou o apelido “Doutor Fatalidade”, é claro, porque estava prevendo a crise financeira em um momento em que muitos outros economistas estavam cheios de otimismo. Você ainda se encontra pessimista quanto ao futuro da economia global?Roubini: Antes de mais nada, eu não sou um pessimista profissional. Eu nem sempre sou negativo em relação ao futuro. O que desejo é avaliar a situação corretamente. Mas quando eu olho para o quadro econômico mundial neste momento, ainda vejo muitas nuvens negras no horizonte.Spiegel: Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), a atividade econômica está aumentando novamente, e há previsões de crescimento de 4% para este ano. Isso não seria um motivo para otimismo?Roubini:Eu sou um indivíduo realista. Eu só consigo enxergar alguns poucos pontos claros em …

THERE IS NO SUCH THING AS A FREE LUNCH!

Sou leitor semanal da coluna do JOÃO PEREIRA COUTINHO na FOLHA DE S. PAULO e a de hoje tem aquele título favorito de economista e do qual gosto muito de repetir: “NÃO EXISTE ALMOÇO GRÁTIS”. Além do que, estive em PORTUGAL em fevereiro e a leitura do texto foi uma ótima recordação das férias e da realidade que presenciei.De qualquer maneira não podemos deixar de analisar com preocupação o que está acontecendo com países como GRÉCIA, PORTUGAL, ESPANHA, IRLANDA e ITÁLIA e evitar que aqui no BRASIL, para piorar, num ano eleitoral, possamos chegar à essa triste situação. Viver em Portugal é habitar um conto de Charles Dickens: olhamos para o presente e percebemos nele o Fantasma do Natal Futuro.O presente é tranquilo: a crise que varre a Europa não afetou ainda os portugueses, que continuam a consumir como se não houvesse amanhã. Mas existe amanhã e o Fantasma do Natal Futuro fala grego e vive em Atenas. O filme não é agradável: protestos nas ruas, três mortos até ao momento. Um pacote…

A CRISE DO EURO.

Nestes dias de trabalhos extras e com o prazo no limite, não posso deixar órfãos aos meus quase dois atentos e fiéis leitores, principalmente devido à grave situação pela qual passa o EURO. Diante disso, deixo-os na companhia do colega LUIZ CARLOS BRESSER-PEREIRA, que na FOLHA DE S. PAULO escreve sobre “A NATUREZA DA CRISE NA EUROPA”. O quadro financeiro europeu continua muito grave. A Alemanha, afinal, decidiu dar apoio ao pacote financeiro grego, de forma que a dívida do setor público da Grécia está equacionada. A imprensa tem dado amplo noticiário sobre o assunto, mas afinal se limita a informar sobre o deficit público e a dívida pública do Estado grego, em vez de informar sobre o problema fundamental que não é do setor público, e sim do setor privado: é o deficit em conta-corrente e a dívida externa dos países. O problema fiscal é grave porque o deficit de 2009 somou-se a elevados níveis de dívida pública, mas o desequilíbrio não está apenas nos governos; está nos países como um t…

SEGUNDO RICUPERO CÂMBIO MATA!

Considerando os difíceis momentos pela qual passa o EURO, vamos ler na FOLHA DE S.PAULO a visão e a preocupação do RUBENS RICUPERO no artigo “CÂMBIO MATA”.O câmbio já está estrangulando o setor de maior tecnologia e valor agregado de nossa indústria (eletrônica, farmacêutica, química, automobilística e maquinaria). Apenas nos três primeiros meses do ano esse setor teve o chocante deficit de US$ 13,6 bilhões, maior do que em todo o ano de 2006 e superior em 42% ao do mesmo período do ano passado.Os dados do Iedi (Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial) servem de necrológio à indústria brasileira, mostrando que o câmbio continua sendo tão mortal como no tempo da advertência de Mário Henrique Simonsen. A tendência está colada à apreciação do real e ao declínio do saldo comercial em geral, que em abril foi o menor em oito anos, tendo caído nada menos que 65% em comparação ao de abril de 2009.Aliás, parecem estar contados os dias de saldo comercial, uma vez que as importaçõ…