Pular para o conteúdo principal

Conselhos de vencedores do Nobel de Economia para jovens economistas.

Recentemente, 8 vencedores do prêmio Nobel de Economia foram convidados a gravar um vídeo com conselhos para jovens economistas.
A iniciativa antecede o 6º encontro das Ciências Econômicas, agendado para 22 e 26 de agosto na cidade de Lindau, na Alemanha.
O evento deve reunir 19 vencedores do prêmio Nobel em Economia com 400 jovens economistas do mundo todo.
Veja alguns dos conselhos e o vídeo em seguida:

Angus Deaton, vencedor em 2015
“É muito importante para as pessoas fazerem as coisas porque realmente querem fazê-las, e trabalhar em ideias que sejam realmente importantes para elas.”

Alvin E. Roth, vencedor em 2012
“Se você não encontrar trabalhos onde você goste da parte do dia-a-dia, você não vai conseguir trabalhar duro o suficiente para realizar as coisas que você quer.”
“Você verá que os seus colegas educados em outro lugar tem alguns pontos de vista diferentes, e eu acho que uma das coisas valiosas é a conversa entre os próprios jovens.”

Edmund Phelps, vencedor em 2006
“Os economistas mais jovens estão perdendo o lado humano da atividade econômica. É importante que os economistas jovens tirem seu nariz dos dados.”

Robert Shiller, vencedor em 2013
“Pessoas que entram hoje na Economia frequentemente adotam uma visão cínica: ‘ah, é tudo matemática, eu preciso jogar um certo jogo’ (…) Os jovens frequentemente subestimam a tolerância das pessoas mais velhas como eu na profissão. A tolerância em relação a ideias experimentais (…) eles também subestimam o quanto pessoas da minha idade se entediam com pessoas que simplesmente fazem o mesmo que estivemos fazendo. Queremos ouvir algo diferente.”

Oliver Hart, vencedor em 2016
“Fazer perguntas difíceis e interessantes é algo muito importante (…) tente perguntar algo um pouco mais desafiador e que você pense: ‘acho que ninguém nunca realmente respondeu a essa questão.”
“As interações mais importantes que eu tive na vida não foram com veteranos, foram com colegas. Eu tirei muito resultado de fazer co-autorias.”


Veja no vídeo:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gustavo Franco: "Precisamos falar sobre herança."

Neste domingo de outono brasileiro, Gustavo Franco é mais uma vez preciso e didático ao evidenciar a situação atual da economia brasileira. 
Segundo ele, "E não por acidente as quedas no PIB do biênio 2015 e 2016, que se espera que atinjam 3,8% e 3,8%, ultrapassam o que se observou nos anos da Grande Depressão, 1930-31, quando as quedas foram de 2,1% e 3,3%. É fundamental que se tenha clara a exata natureza e extensão da herança, para que as dores inerentes ao árduo trabalho de reconstrução financeira e fiscal do crédito público sejam associadas a quem produziu a doença, e não ao médico."
Um texto para ler e reler.
No ESTADÃO: http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,precisamos-falar-sobre-heranca,10000053939

Revista EXAME: Como roubar uma empresa.

Brasil: PIB 2007 - 2017 com previsões otimistas? Melhor não...

Para iniciar esta semana, neste domingo de sol no nosso outono brasileiro e considerando que o primeiro trimestre de 2016 já é passado, vide acima os resultados do PIB brasileiro para o período de 2007 - 2017, evidentemente com as previsões para os anos de 2016 e 2017. 

Diante desses números e da complexa situação econômica e política brasileira, consideramos muito otimismo um resultado de 1,5% do PIB para 2017.
Porém, como sonhar ainda não está sendo tributado...