Pular para o conteúdo principal

BRASIL COM NOVA PRESIDENTE.

Com a brilhante colaboração de SINFRÔNIO, do nosso cearense DIÁRIO DO NORDESTE, esperamos o melhor da presidente DILMA ROUSSEFF para o BRASIL e seus brasileiros e brasileiras, independente da nossa divergência com relação a campanha eleitoral e a ausência de debate econômico.
Boa sorte DILMA, a primeira brasileira presidente do BRASIL.

Comentários

Pedreliano disse…
Amigo Melo, ontem ao assistir o CQC na Band, um dos repórteres inconvenientes como de costume, falou à um dos líderes do PT que estavam presentes no discurso da presidenta eleita: "Acho que foi bonito o discurso, mas o Sarney presente no palanque tira um pouco do brilho não tira????" Cara rolei de rir!!!! Ver Sarney, Palocci todos juntos ao lado de nossa futura presidenta, me fez lembrar uma frase de infância: "Eu falei à vocês que isso não daria certo, não falei???"KKKKK!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Gustavo Franco: "Precisamos falar sobre herança."

Neste domingo de outono brasileiro, Gustavo Franco é mais uma vez preciso e didático ao evidenciar a situação atual da economia brasileira. 
Segundo ele, "E não por acidente as quedas no PIB do biênio 2015 e 2016, que se espera que atinjam 3,8% e 3,8%, ultrapassam o que se observou nos anos da Grande Depressão, 1930-31, quando as quedas foram de 2,1% e 3,3%. É fundamental que se tenha clara a exata natureza e extensão da herança, para que as dores inerentes ao árduo trabalho de reconstrução financeira e fiscal do crédito público sejam associadas a quem produziu a doença, e não ao médico."
Um texto para ler e reler.
No ESTADÃO: http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,precisamos-falar-sobre-heranca,10000053939

Revista EXAME: Como roubar uma empresa.

Brasil: PIB 2007 - 2017 com previsões otimistas? Melhor não...

Para iniciar esta semana, neste domingo de sol no nosso outono brasileiro e considerando que o primeiro trimestre de 2016 já é passado, vide acima os resultados do PIB brasileiro para o período de 2007 - 2017, evidentemente com as previsões para os anos de 2016 e 2017. 

Diante desses números e da complexa situação econômica e política brasileira, consideramos muito otimismo um resultado de 1,5% do PIB para 2017.
Porém, como sonhar ainda não está sendo tributado...