Pular para o conteúdo principal

O ESTADO DO PARÁ NA "EXAME"

É muito triste quando vemos uma foto de um desmatamento no estado do Pará, na página 49 da edição especial da EXAME CEO de Dezembro/2008. Segundo os autores do artigo "É hora de enfrentar o aquecimento" o grande problema do Brasil é o desflorestamento no norte do país que ainda produz quantidades enormes de dióxido de carbono. Sem isso, as emissões per capita do Brasil seriam de apenas cinco toneladas. Adicionando a cifra do desflorestamento, o número mais que dobra.

Até quando o Estado não agirá com o rigor da lei na punição aos infratores e numa solução na qual a responsabilidade social seja em benefício dos moradores locais?

Comentários

Pedreliano disse…
Esta situação é um tanto peculiar, bem como as outras reportagens com teor destrutivista em relação à Amazônia!!! Estes apontamentos são sem dúvidas reais e preocupantes, mas o odor do sarcarsmo nas reportagens, é o que incomoda!! Quando os "Nórdicos Arianos" do Sudeste comentam ou relatam algo sobre a "Plebe Amazônica", não enxergam sequer outro assunto,a não ser o desmatamento, trabalho escravo etc.. No entanto mistificam e endeusam minúcias da "Europa do Brasil" Como as Belezas faraônicas de Campos do Jordão, a educação singular do povo Curitibano!!! E esquecem que a Amazônia além de Espetaculosamente maravilhosa possui um povo imerso em cultura, escritores louváveis, paisagens únicas, teatros explendorosos etc!!! À propósito o que aconteceu com a Mata Atlântica?? Aqui pelo menos podemos ir à Praia sem correr o risco de ser surpreendido por um Arrastão!!!! O desmatamento é um problema nacional!!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Gustavo Franco: "Precisamos falar sobre herança."

Neste domingo de outono brasileiro, Gustavo Franco é mais uma vez preciso e didático ao evidenciar a situação atual da economia brasileira. 
Segundo ele, "E não por acidente as quedas no PIB do biênio 2015 e 2016, que se espera que atinjam 3,8% e 3,8%, ultrapassam o que se observou nos anos da Grande Depressão, 1930-31, quando as quedas foram de 2,1% e 3,3%. É fundamental que se tenha clara a exata natureza e extensão da herança, para que as dores inerentes ao árduo trabalho de reconstrução financeira e fiscal do crédito público sejam associadas a quem produziu a doença, e não ao médico."
Um texto para ler e reler.
No ESTADÃO: http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,precisamos-falar-sobre-heranca,10000053939

Revista EXAME: Como roubar uma empresa.

Brasil: PIB 2007 - 2017 com previsões otimistas? Melhor não...

Para iniciar esta semana, neste domingo de sol no nosso outono brasileiro e considerando que o primeiro trimestre de 2016 já é passado, vide acima os resultados do PIB brasileiro para o período de 2007 - 2017, evidentemente com as previsões para os anos de 2016 e 2017. 

Diante desses números e da complexa situação econômica e política brasileira, consideramos muito otimismo um resultado de 1,5% do PIB para 2017.
Porém, como sonhar ainda não está sendo tributado...