domingo, 4 de janeiro de 2009

AS IDÉIAS DE ROBERTO CAMPOS EM 2009

Neste 2009 em que tantos tentam ressuscitar John Maynard Keynes e afirmar que acabou o livre mercado, o liberalismo e o neoliberalismo, eu também busco no além-mundo, as palavras de um grande Economista e formador do pensamento econômico liberal no Brasil: ROBERTO CAMPOS. Falhas existem e precisam de correções, mas a solução não é necessariamente e obrigatoriamente o Estado.

"Sou chamado a responder rotineiramente a duas perguntas. A primeira é 'haverá saída para o Brasil?'. A segunda é 'que fazer?'. Respondo àquela dizendo que há três saídas: o aeroporto do Galeão, o de Cumbica e o liberalismo. A resposta à segunda pergunta é aprendermos de recentes experiências alheias."

"O mercado é apenas o lugar em que as pessoas transacionam livremente entre si. Só isso. Mas não é pouco, porque no seu espaço a interação competitiva entre os agentes econômicos equivale a um plebiscito ininterrupto, que não só permite fazer uma apuração, a todos os momentos revista, das preferências dos indivíduos, como lhes dá uma medição quantitativa, tornando possível, por conseguinte, o cálculo racional."

"A melhor maneira de promover a eficiência no uso de recursos é a concorrência interna e externa. Donde ser a oposição à abertura econômica e à globalização - em nome do combate ao neoliberalismo - uma secreção de cabeças suicidas. Ou talvez, o perfume de flores assassinas que mesmerizam mosquitos ideológicos."

Um comentário:

Erik Figueiredo disse...

Um belo início de ano. Parabéns pelas frases.