domingo, 10 de abril de 2016

Sem otimismo com a queda da inflação em março/2016.

Com o cenário econômico em tempos de péssimas notícias, é razoável a euforia que o IPCA registrou avanço de "apenas" 0,43% em março de 2016, resultando numa acumulação de 9,39% em 12 meses, inferior portanto aos 10,36% observados em fevereiro. Isso lembrando que 2015 fechou com uma inflação de 10,67% e que a meta para 2016 continua sendo 4,5% ao ano. Logo, estamos realmente muito longe da meta.

Como citado por João Sayad em 1987, "a inflação é um animal burro". E com burros, não devemos brincar...

Também, em meados de 2004, Gustavo Franco profeticamente escreveu em um dos textos do livro Economia Brasileira Contemporânea, "o desenvolvimento econômico brasileiro, para ser justo e saudável, precisa ter lugar sob responsabilidade fiscal e moeda sadia". Suspeito que a mente brilhante do nobre colega nem imaginasse que no Brasil de 2016 estaríamos num contexto pavoroso. 

O país necessita que os números da economia mostrem, com urgência urgentíssima, o enorme potencial de crescimento brasileiro, sob pena de sofrimento e dor para toda a sociedade. É extremamente lamentável que após uma queda de 3,8% no PIB em 2015, estejamos prevendo outra queda de 3,8% para 2016 e, quem sabe, um PIB de insignificante 0,3% para 2017. Realmente, assim não dá!!!  

Quem viver, verá!   

Nenhum comentário: