Pular para o conteúdo principal

A BOA ACAO DE DELFIM NETTO.

Leio na FOLHA de hoje que o economista e ex-ministro da Fazenda Antonio Delfim Netto vai doar sua biblioteca pessoal para a USP (Universidade de São Paulo). Com 250 mil livros, a coleção é uma das maiores bibliotecas privadas do Brasil.

O motivo da doação, ele conta rindo, são os 82 anos. "Eu estou ficando velho, e a USP vai continuar."

Dizendo não ser um bibliófilo, o ex-ministro afirma que seu acervo é uma "biblioteca de trabalho, especializada".

"Não tem nenhuma primeira edição. Tenho todos os clássicos, mas não tenho nenhuma primeira edição. Eu não sou um bibliófilo, sou um colecionador de livros. Tenho muito prazer nisso", afirma.

Delfim conta que compra livros "como todo mundo, por catálogo e referência". Muitos amigos sugerem títulos a sua secretária, que os compra.

Constituída em sua maioria por títulos de economia, a coleção conta também com livros e documentos de história, geografia, filosofia, ciência política e matemática.

A biblioteca será integralmente doada para a Faculdade de Economia e Administração da USP, da qual Delfim é professor emérito. A faculdade está construindo um espaço para abrigar o acervo.

"Estou devolvendo para a FEA tudo aquilo que ela me deu", afirma Delfim.

Trata-se de um belo exemplo a ser seguido por muitos colegas.

Comentários

Pedreliano disse…
Acho que vou fazer o mesmo com minha biblioteca pessoal com 10 livros rsrs!!! Brincadeira João não é tão pouco assim!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Gustavo Franco: "Precisamos falar sobre herança."

Neste domingo de outono brasileiro, Gustavo Franco é mais uma vez preciso e didático ao evidenciar a situação atual da economia brasileira. 
Segundo ele, "E não por acidente as quedas no PIB do biênio 2015 e 2016, que se espera que atinjam 3,8% e 3,8%, ultrapassam o que se observou nos anos da Grande Depressão, 1930-31, quando as quedas foram de 2,1% e 3,3%. É fundamental que se tenha clara a exata natureza e extensão da herança, para que as dores inerentes ao árduo trabalho de reconstrução financeira e fiscal do crédito público sejam associadas a quem produziu a doença, e não ao médico."
Um texto para ler e reler.
No ESTADÃO: http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,precisamos-falar-sobre-heranca,10000053939

Revista EXAME: Como roubar uma empresa.

Brasil: PIB 2007 - 2017 com previsões otimistas? Melhor não...

Para iniciar esta semana, neste domingo de sol no nosso outono brasileiro e considerando que o primeiro trimestre de 2016 já é passado, vide acima os resultados do PIB brasileiro para o período de 2007 - 2017, evidentemente com as previsões para os anos de 2016 e 2017. 

Diante desses números e da complexa situação econômica e política brasileira, consideramos muito otimismo um resultado de 1,5% do PIB para 2017.
Porém, como sonhar ainda não está sendo tributado...