domingo, 30 de junho de 2013

A política econômica de Armínio Fraga para os dias de hoje.

Armínio Fraga no GLOBO, diz o que ele mudaria na atual política econômica se estivesse no poder.


Muita coisa, mas nem estou, nem sou candidato a nada... Escrevi com colegas recentemente um artigo, na verdade dois artigos, que vocês publicaram, argumentando que o Brasil vivia uma certa encruzilhada. O primeiro artigo sugeria que poderíamos estar caminhando em direção a um modelo que deu errado, parecido com o da década de 70, com pouco foco em produtividade, modelo mais fechado, bancos públicos tendo papel grande demais, pouca capacidade de mobilizar investimento em infraestrutura e outras questões como essas. Sem prejuízo de muita coisa boa que aconteceu no combate à pobreza, na melhoria da distribuição de renda, isso tudo é essencial e obviamente tem que continuar. Agora de fato me parece que o Brasil tende a ir nessa direção que deu errado no passado. Rever esse modelo me parece essencial. Esse modelo que comentei no início da conversa, onde Brasília passa a ser um destino de peregrinação de empresários, pleiteando subsídios, proteções, crédito barato, é um modelo muito ruim, inclusive do ponto de vista distributivo. É um modelo pró empresa e não pró mercado. Melhor reduzir o Custo Brasil e deixar os empresários competirem entre si. A política recente de combustíveis e automóveis, discutida recentemente em coluna da Miriam Leitão, carece de mudanças: o Brasil subsidia carbono e automóvel, quando o mundo inteiro parece querer diminuir a sua pegada e ter menos carros andando nas ruas, focar mais em transporte público, menos poluente e “engarrafante”. Quando o governo segura o preço do petróleo como segurou durante muito tempo com o objetivo de afetar o índice de inflação, se vê o Brasil indo em direção contrária da que seria correta. O foco do governo Fernando Henrique Cardoso em saúde e educação é atual e correto tanto do ponto de vista de justiça social quanto de crescimento. Tudo que está acontecendo no mundo da infraestrutura, a meu ver, requer muita atenção e vejo bastante espaço para melhorias. Faço questão de registrar aqui que o próprio governo tem dado sinais de que quer caminhar nessa direção e espero que as incertezas com relação aos investimentos na infraestrutura não atrapalhem demais a retomada do investimento, que já está muito atrasada.

Nenhum comentário: