sexta-feira, 27 de maio de 2011

Brasil e China ou Brasil x China?

Leio no blog RADAR ECONÔMICO interessante notícia:

Luiz Fernando de Paula*, colaborador do Radar Econômico, chama atenção para editorial publicado ontem (quarta-feira, 24) no jornal “Financial Times”, que pode ter passado despercebido por muitos brasileiros porque no mesmo dia o diário abordou também os problemas envolvendo o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci.

O editorial, coluna que expressa a opinião do jornal, diz que o problema entre Brasil e China se agravou por conta da manipulação do câmbio e por barreiras comerciais, duas práticas do governo chinês que atrapalham o País.

Escreve Luiz Fernando de Paula:

“Editorial de ontem da jornal britânico “Financial Times” analisa a complexa relação econômica entre Brasil e China e merece atenção.

Por um lado, há forte complementaridade entre as duas economias: a China é grande importadora de commodities e exportadora de capitais; Brasil é grande exportador de commodities e importador de capitais externos.

Contudo, nem tudo são rosas: a participação de commodities no total das exportações brasileiras mais que dobrou nos últimos dez anos, alcançando quase a metade da pauta de exportações do país, ao mesmo tempo que a participação de manufaturados vem caindo.

O problema tem se agravado em relação a China por dois fatores: a política massiva de intervenção cambial chinesa para manter seu câmbio mais ou menos estável; as barreiras existentes no mercado chinês que dificultam exportações brasileiras, inclusive nas competitivas exportações agrícolas.

Não é para menos que, das 144 investigações anti-dumping que o Brasil lançou no fim de 2010, 50 são contra a China. Enfim, são questões importantes a serem avaliadas na complexa geopolítica Brasil-China.”

Leia o editorial no site do “Financial Times”

* Luiz Fernando de Paula é professor de Economia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), pesquisador do CNPq e presidente da Associação Keynesiana Brasileira (AKB). É autor, entre outros, do livro “Financial Liberalization and Economic Performance: Brazil at the crossroads” (Routledge, 2011). Blog da Associação Keynesiana Brasileira (AKB): http://associacaokeynesiana.wordpress.com

Nenhum comentário: