domingo, 21 de setembro de 2008

USA: McCain x Economistas

Anteriormente registrei meu entusiamo pela candidatura de Barack Obama à Presidência dos Estados Unidos, devido ser o representante do Partido Democrata, que é considerado mais à esquerda, o que favorece políticas sociais e econômicas liberais. Na verdade, o que acho relevante na política americana é que as diferenças e/ou divergências entre os Partidos Democrata e Republicano se tornam mínimas quando um deles chega à Presidência. O que vale mesmo é defender os interesses dos Estados Unidos e nisso eles são ótimos.
De qualquer maneira, mesmo ciente que o resultado da eleição NÃO alterará substancialmente a política americana, acredito que a chapa Obama/Biden vencerá as eleições e, mais numa vez, os Democratas assumirão à Presidência.
Isso é bom para os Economistas, pois li recentemente no site do Freakonomics.com que em junho de 2008, em evento em Nova York, McCain não falou bem sobre nossa área.
Leiam o que ele disse: "Eles [os economistas] são os mesmos, eu acho, que não nos avisaram sobre a crise do empréstimo imobiliário subprime. São aqueles que não nos disseram sobre o calapso pontocom. E são aqueles que não nos alertaram sobre a inflação que se aproxima. Eu tenho que recorrer ao velho ditado de que se todos os economistas do mundo ficassem lado a lado, não chegariam à conclusão alguma. Logo, eu confio nas pessoas, não nos chamados economistas, para dar ao povo americano um pouco de alívio."
Depois dessa mensagem, fico pensando em quem (se eleito), McCain ouvirá à respeito de Economia.

Nenhum comentário: