segunda-feira, 6 de junho de 2011

Tudo é político by Paul Krugman.

Logo que li o artigo do PETER DIAMOND fiquei imaginando a humilhacao de um NOBEL perante seus colegas. Agora a pouco, PAUL KRUGMAN poe o dedo na ferida e esclarece esta triste história. Se isso acontece com um economista considerado por KRUGMAN como EXCELENTE, fico pensando o que acontece com meros aprendizes de economia.

Peter Diamond tem um artigo de opinião deprimente no New York Times de hoje, eximindo-se de disputar um assento no Conselho de Administração do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) em face da oposição republicana.

O que é preciso saber sobre Peter é que ele não é apenas um excelente economista, mas um economista de economistas – um teórico profundamente respeitado, não absolutamente alguém que se fez como ideólogo. Seu trabalho é basicamente apolítico.

Exceto que hoje em dia tudo é político.

Pouco importam as preocupações obviamente falsas sobre se ele é adequado ou não ao Fed. Obviamente, Peter não foi aprovado em função de dois pecados: ser pessoalmente um democrata, e ter sido nomeado por Obama.

A questão é que o Fed supostamente devia ficar acima e ao lado da disputa partidária. Nunca ficou completamente – mas esse era um ideal a ser alcançado. Não é mais.

Acho que a rejeição de um premiado com o Nobel para um assento no Fed está ligada, de maneira fundamental, à disposição de economistas com reputações profissionais decentes de aderirem às proclamações cada vez mais insanas emitidas por políticos republicanos. Sejam eles honestos consigo mesmos ou não, o que perceberam é que estão diante de um teste de lealdade – ou talvez seja um teste de apparatchik; se tiverem alguma ambição de servirem num cargo político, eles precisam se mostrar dispostos a seguir a linha do partido onde quer que ela vá.

Não há nada comparável no outro lado. Primeiramente, não se encontram pessoas como Christy Romer ou, bem, eu tomando posições em questões de política que vão diretamente contra o que elas disseram em seus escritos profissionais, enquanto se vê muito disso no lado republicano. E ex-autoridades do lado democrata como Christy ou Jared Bernstein estão muito dispostas a criticar políticas de Obama, ainda que de uma posição basicamente amistosa.

A maneira como a polarização de nossa política está corrompendo a teoria e a prática da economia não é, com certeza, seu maior custo. Mas ele não é trivial tampouco.

Nenhum comentário: