quinta-feira, 21 de abril de 2011

O poder do iPhone!

Para quem acreditava ou acredita no poder de venda do iPad, leia abaixa a notícia da FOLHA sobre os ultimos resultados da APPLE. Realmente, hoje, na minha opinião, não existe aparelho que supere o iPhone.
Sob impacto de vendas acima do esperado do iPhone, a Apple registrou lucro de US$ 5,99 bilhões (R$ 9,6 bilhões) no primeiro trimestre, crescimento de 95% em comparação ao mesmo período de 2010. O resultado ficou acima do esperado pelo mercado. O faturamento aumentou 83%, para US$ 24,7 bilhões. No trimestre, foram 18,7 milhões de iPhones vendidos -mais do que o dobro do mesmo período de 2010.
Para isso, contribuiu a decisão da empresa de oferecer nos EUA o produto aos clientes da operadora Verizon. Antes, a AT&T detinha a exclusividade na comercialização do smartphone.
Por outro lado, o desempenho do iPad ficou aquém do esperado, com 4,7 milhões de unidades vendidas -esperava-se que 6 milhões tivessem sido comercializados no período. Segundo analistas, esse resultado deveu-se aos problemas enfrentados pela Apple para atender a demanda pelo tablet e a consequente falta de produto nas lojas.
A Apple também apresentou resultados expressivos em uma indústria afetada pela queda de suprimentos. Devido ao terremoto e ao tsunami no Japão, a produção de insumos para computadores foi prejudicada em todo o mundo.Mesmo assim, as vendas do MacBook, o notebook da Apple, cresceram 53%, para 2,8 milhões. O desktop Mac, por sua vez, perdeu 12% de vendas, para 1 milhão.
O diretor financeiro da Apple, Peter Oppenheimer, disse que está "extremamente" satisfeito com os resultados, que foram recordes para o segundo trimestre do ano fiscal da empresa, que teve seu início em setembro de 2010.Ele ainda disse que a companhia está fazendo progressos na produção de iPads e expandindo o número de países nos quais o produto é comercializado.
O iPad 2 foi lançado em março nos Estados Unidos e em outros 25 países. Na semana que vem, chegará a mais 13 -não foi informado se o Brasil está na lista. Neste mês, a Foxconn, fornecedora da Apple, anunciou que fabricará o aparelho no país a partir de novembro.
O mercado também recebeu bem os novos números. As ações da companhia subiram 2,4% no "after market" (negociação de papéis feita após o pregão regular).
Com cerca de US$ 315 bilhões de valor de mercado no dia 20, a Apple é atualmente a segunda maior empresa do mundo, perdendo apenas para a petrolífera Exxon Mobil, que tem aproximadamente US$ 424 bilhões nesse indicador na mesma data.

Nenhum comentário: