Pular para o conteúdo principal

A Selic de 9,75% e o meu cartão de crédito.

Enquanto o Bacen reduz nesta data a taxa básica de juros (Selic) para 9,75% ao ano, o meu extrato mensal da fatura do cartão de crédito registra taxas conforme abaixo:
  • Pagamento parcial: 12,89% ao mês;
  • Saques: 14,89% ao mês;
  • Compras parceladas com juros: 5,99% ao mês;
  • Parcelamento da fatura: 9,89% ao mês;
  • Pagamento em atraso: 15,89% ao mês;
  • Custo Efetivo Total (no período): 368,29% ao ano.
Afinal, quando as reduções da taxa de juros irão chegar ao conhecimento da administradora do meu cartão de crédito? Pelo que tenho acompanhado, esse tempo está demorando demais... Reclamações sobre este assunto deverão ser direcionadas ao Frederico, leitor fiel deste espaço.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gustavo Franco: "Precisamos falar sobre herança."

Neste domingo de outono brasileiro, Gustavo Franco é mais uma vez preciso e didático ao evidenciar a situação atual da economia brasileira. 
Segundo ele, "E não por acidente as quedas no PIB do biênio 2015 e 2016, que se espera que atinjam 3,8% e 3,8%, ultrapassam o que se observou nos anos da Grande Depressão, 1930-31, quando as quedas foram de 2,1% e 3,3%. É fundamental que se tenha clara a exata natureza e extensão da herança, para que as dores inerentes ao árduo trabalho de reconstrução financeira e fiscal do crédito público sejam associadas a quem produziu a doença, e não ao médico."
Um texto para ler e reler.
No ESTADÃO: http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,precisamos-falar-sobre-heranca,10000053939

Revista EXAME: Como roubar uma empresa.

Brasil: PIB 2007 - 2017 com previsões otimistas? Melhor não...

Para iniciar esta semana, neste domingo de sol no nosso outono brasileiro e considerando que o primeiro trimestre de 2016 já é passado, vide acima os resultados do PIB brasileiro para o período de 2007 - 2017, evidentemente com as previsões para os anos de 2016 e 2017. 

Diante desses números e da complexa situação econômica e política brasileira, consideramos muito otimismo um resultado de 1,5% do PIB para 2017.
Porém, como sonhar ainda não está sendo tributado...